29.3.10

Não me diferencie
Somos todos iguais se assim nascemos
Não me rotule
Não sou o produto de nada que haja vista foi construído
E não transformado
Sou filho de um homem e a semelhança do divino
Anjo para uns
Demônio para outros
Dia e as vezes noites
Esteada e também trovoadas
Andarilho peregrino com destino certo no alvo
A vida
Postar um comentário

Meiga e cheia de perfume Você, de todo o meu jardim É a flor mais linda!