29.3.10

Nesta nave (planeta terra) que sigo minha vida
Levo os mais vastos passageiros
Pessoas daqui e de lá, sentimento e beleza de todo lugar
Situações habituais moldadas e que precisam ser transformadas
Sinto a capacidade e as possibilidades
De viver assim solto, mais natural
Solto na vida, preso no amor leve como o ar
Tendo na imensidão a presença do agora
Reunido em um lindo por do sol no fim da tarde
Todos reunidos na eterna presença do agora
Creio nisto
E educo meus filhos como “leões gladiadores”
Filho de Africanos e do mundo
Quilombola nascido no Brasil
Um índio que precisa viajar nesta gigantesca nave azul
Nossa pacha mama Terra

Postar um comentário

Meiga e cheia de perfume Você, de todo o meu jardim É a flor mais linda!