13.4.11

Alado como um pássaro sigo nesta nave terra
nasci como um caboquim ao lado das nagôs
num dia de sol que erradia quente como se fosse hoje
Tenho as raízes de meu pai e ancestrais
Sou a mistura de um povo, índio nagô do rito caboco
herdei o espirito mistico e quilombola
E alado como a águia a vida me leva
e eu simplesmente, vou
sendo como posso
Justo e humilde revivo os bons tempos
Na mistura do indio nago
Alado como um pássaro nesta nave
chamada Terra
A essência é a coisa mais rara das coisas na qual não podemos se abster...
E O mundo em que se vê e nele acredita tem que ser bem maior (e mais belo)
O medo que se tem e que nele se acredita tem ser bem menor (ou inexistente)
Pois o espelho do ego e da ilusão precisa ser como o reflexo da água
Límpida e transparente....
No pó estelar está a minha presença viva e voando por aí
vê em meus pensamentos, me sinta e me envolva
dribla a tentativa dos bloqueios normais do dia a dia
e me diga que isso tudo não é engano..... (e sim, verdade)


no Meu mundo ando pelo arco-iris.... tudo é magico!

O arco-íris vem nos mostrar que o mundo é colorido e mágico
Ontem apareceu e brilhou no céu tão grande quanto o pode demonstrar
Os pássaros cessaram o canto e nos galhos se juntaram como num ninho
As formigas aquietaram
As borboletas não voam e o beija-flor junto a flor ficou
e eu vendo tudo isso não fiz o contrario.....
Absorvidos pela emancipação dos tons
Todos se entregaram a magia e a contemplação

Aqui onde era o fundo do mar....

É onde nasci, me cresci e onde vou vegetar....... até criar minhas asas e voar universo afora

Meiga e cheia de perfume Você, de todo o meu jardim É a flor mais linda!