16.12.15

eterno viajante


Há tempos me preservo
Guardado dentro de min 
Em um mundo bem mais vasto
além do que o que nos cerca
Sonhando solto à invariáveis formas de sentir
Pois quando digo voar nas asas de uma borboleta
Navegando no aroma das flores
Ou surfar no arco-íris
Isto é para min o desprendimento
Que rompe o casulo da limitação da ignorância do só ser

E me torno verdadeiramente um eterno viajante
Postar um comentário

Meiga e cheia de perfume Você, de todo o meu jardim É a flor mais linda!